Carlos Ayres Britto será empossado na Academia de Letras da Bahia

18-08 Tribuna da Bahia

 

O poeta sergipano é autor de diversas obras e membro da Academia Brasileira de Letras Jurídicas e da Academia Sergipana de Letras

Em reconhecimento por sua atuação na área jurídica e na poesia, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto será empossado na noite de quinta-feira (18) como o mais novo membro correspondente da Academia de Letras da Bahia (ALB). A sessão acontecerá no Palacete Góes Calmon, na Avenida Joana Angélica, 198, às 19h, com saudação do acadêmico Luís Antônio Cajazeira. O poeta sergipano é autor de diversas obras e membro da Academia Brasileira de Letras Jurídicas e da Academia Sergipana de Letras.

“A Academia de Letras da Bahia reconhece o grande intelectual e escritor que é Calor Ayres Britto. Ele me escolheu, para meu orgulho, para ser o acadêmico confrade dele que vai saudá-lo na Academia. É um momento, pra mim, muito gratificante, porque ele é sem dúvida um dos pensadores mais importantes da área jurídica do Brasil – chegando ao ápice da carreira jurídica, que é ser presidente do Supremo Tribunal Federal –, além de ser um grande escritor”, declarou Luís Cajazeira.

O acadêmico enalteceu ainda a jornada jurista. “Ele tem uma formação espiritualista, sempre com uma visão humanística em Direito. O ministro Ayres Britto é cidadão baiano, porque recebeu o título pela Assembleia Legislativa, além de tudo a mãe dele é baiana, de Santo Amaro da Purificação; e o pai é sergipano. Foi eleito como membro correspondente, já que ele não é natural da Bahia e não vive na Bahia”, pontuou.

“A posse do Ayres Britto enriquece nossa centenária instituição com a presença de uma das personalidades mais especiais da vida intelectual brasileira, em domínios tão distintos como a poesia, o direito, a filosofia e as ciências sociais em geral. Basta lembrar que Ayres Britto, ao deixar a presidência da Suprema Corte, transformou-se em alto da cidadania na mais eloquente voz oracular do Brasil contemporâneo”, acrescentou o também membro da ALB, Joaci Góes.

Em entrevista à Tribuna, a presidente da Academia, Evelina Hoisel, lembrou que o jurista havia sido eleito membro correspondente desde o fim do ano passado e destacou a importância do mesmo. “Obviamente é um reconhecimento da Academia de Letras, em relação a atuação dessa ilustre personalidade. É uma figura não apenas como advogado e jurista, mas que tem também uma atuação no cenário cultural brasileiro como poeta. A Academia historicamente acolhe personalidades importantes do cenário cultural, e Carlos Ayres Britto agora incorpora a nossa instituição”, afirmou.

 HISTÓRICO
Nascido em Propriá, em Sergipe, em 18 de novembro de 1942, Carlos Ayres Britto é poeta, professor, magistrado e jurista. É bacharel em Direito pela Universidade Federal de Sergipe, mestre e doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em Sergipe, foi consultor-geral do Estado, procurador-geral de Justiça e procurador do Tribunal de Contas. Em 2003 foi nomeado ministro do Supremo Tribunal Federal. Foi presidente do Tribunal Superior Eleitoral, do Conselho Nacional de Justiça e do próprio Supremo Tribunal Federal, em 2012, ano da sua aposentadoria.

Na esfera jurídica, Ayres Britto publicou os livros ‘Jurisprudência administrativa e judicial em matéria de servidor público’, ‘Interpretação e aplicabilidade das normas constitucionais’, ‘O perfil constitucional da licitação’, ‘Teoria da Constituição’ e ‘O humanismo como categoria constitucional’. No campo literário, é autor dos livros de poesia ‘Teletempo’, ‘Um lugar chamado luz’, ‘Uma quarta de farinha’, ‘A pele do ar’ e ‘Varal de borboletras’.

FONTE DA NOTÍCIA: Rayllana Lima – Tribuna da Bahia

FONTE DA FOTO: Carlos Humberto/SCO/STF